O Brasil deu PT…

Nua e Crua…..

E tinha gente que abraçava o PAC. O PAC era a salvação da lavoura. Criado pela mãe do povo. O programa que daria infraestrutura a um país feito de barro. A promessa era tentadora. Obra pra cá, obra pra lá. O Brasil viraria um canteiro. Um país novinho em folha sairia do papel, era o que eles diziam.

E aí está o PAC. Esse era o plano todo. Os mesmos caras que passaram a vida acusando os outros de privatizarem as estatais, decidiram alugar o país inteiro a um pequeno grupo de empresários e banqueiros.

Foi uma festa. Com o seu dinheiro. E você não foi convidado.

Agora? A maior parte das obras mal saíram do papel. Você foi a noiva abandonada no altar. Os caras deram um pé na sua bunda e saíram cobrando juras de amor.

Em 8 anos, só 37% dos empreendimentos foram concluídos. Das 10 maiores obras anunciadas pelo programa, apenas duas chegaram à conclusão. Uma delas, a refinaria Premium 1, no Maranhão, foi completamente abandonada. O prejuízo? 2 bilhões de reais.

Ou seja: não dá nem pra dizer que o petismo está à altura do malufismo. Maluf ao menos rouba, mas faz – embora a escola de banditismo seja a mesma, agora pós-graduada.

Quem ganhou com isso tudo? Nesse momento é muito fácil dizer. Alguns partidos políticos, que davam base de sustentação a um sistema apodrecido, e uma dúzia de amigos do rei. Gente como Eike, um patife completo que não sabe nem produzir um powerpoint sem ajuda do governo. E tudo sob sorrisos e aplausos de uma militância engajada em defender – como é que eles dizem mesmo? – “os interesses do povo”. Em 2012, era o que a Dilma dizia:

– O Eike é nosso padrão, nossa expectativa e orgulho do Brasil.

Sim, essa era a nossa expectativa. Um cara que pegaria o seu passaporte alemão e fugiria pela porta dos fundos, dando uma banana pra todo mundo, no melhor estilo brazilian way of life. Foi nesse cara que a gente apostou.

E a mãe do PAC? Não sabia de nada, não viu nada, não tinha noção de nada. Aos seus defensores, não deve nem ser questionada pelas cagadas que fez. Pobre Dilma! Quem poderia imaginar que Eike seria um problema para o país, não é mesmo? Todos aqueles contratos superfaturados, todos aqueles bilhões emprestados pelo BNDES, saindo literalmente do bolso dos trabalhadores mais humildes desse país, para um cara que só tinha gogó. Quem seria capaz de adivinhar que isso tudo daria errado?

O Brasil foi à bancarrota. Mas nem tudo está perdido. Há uma grande lição por trás disso tudo: o capitalismo de compadrio é um grande barco furado, um contrato onde você entra com a grana e eles com o tapinha nas costas. É tipo Telexfree. Só que pior. Se depois disso tudo, você ainda não foi capaz de compreender como funcionam as entranhas do poder, não dá mais pra diagnosticar outra coisa. Das duas, uma: ou você gosta de fazer papel de mulher de bandido, ou foi acossado pela mais terrível síndrome de Estocolmo.

- Rodrigo da Silva, editor do Spotniks

Autor:

Um cara único no mundo, pelo menos no jeito de pensar e agir.